[ editar artigo]

Como você constrói as metas da sua equipe?

Como você constrói as metas da sua equipe?

Conheça a experiência do Rodrigo Ferreira com as metas. Como ele se relacionava com elas e o impacto negativo que tinha nele. Após mudar de empresa, construiu uma nova relação e passou a ser muito mais engajado. Confira seu depoimento e reflita sobre como você quer construir as metas da sua equipe. 

 

O ano de 2020, apesar de tudo que vivemos, também trouxe algumas coisas boas, no meu caso, uma delas é que mudei de trabalho. Estou a pouco mais de 2 meses no Grupo Gaia e quero compartilhar com você uma experiência que me fez refletir, vamos lá?

No início de dezembro, participei da minha primeira reunião na Gaia para definição da estratégia para o próximo trimestre e achei muito incrível toda a dinâmica. Diversas áreas envolvidas, todos com liberdade para compartilhar suas ideias sem restrições, o CEO participou ativamente, ouviu, sugeriu e viajou nas ideias com o todo o grupo (kkk).

E por que estou compartilhando isso com você?

Em minhas experiências anteriores não era assim que a banda tocava, normalmente recebíamos as metas do alto escalão da organização sem ao menos participar da construção do planejamento e simplesmente tínhamos que nos virar para conseguir cumpri-las.

Os gestores recebiam as metas, compartilhavam com a equipe e era muito comum que complementassem com frases do tipo: "Para cumprimos as metas será preciso sangue nos olhos, faca nos dentes e trabalho em equipe ".  E de fato, sangue nos olhos não faltava, mas de tanto chorar.

Lembro que as metas arrojadas, as cobranças, a falta de colaboração dos colegas e a pressão dos gestores me deixavam sem dormir, o estresse era inevitável. Todo domingo no final do dia, quando lembrava que precisava retornar ao trabalho eu me sentia angustiado e sem vontade. 

É importante mencionar que eu não sou contra as metas, muito pelo contrário:

 

As metas dão direção para o nosso trabalho e o desafio de conquistá-las tem que ser encantador.

 

Porém quando existe um exagero no estabelecimento das metas as atividades tornam-se frustrantes e a desmotivação bate à nossa porta.

Na Gaia, lembro que na reunião para estabelecimento das metas o CEO João Paulo Pacífico disse:

 

“As metas são para ajudar na nossa evolução, nunca o motivo da nossa existência”.

 

Isso pra mim fez toda a diferença, mais do que metas, hoje tenho uma missão.

E você? Como está sua relação com as metas? 

 

Você tem uma experiência sobre esse assunto e quer compartilhar com outros líderes? Clique aqui e escreva seu artigo!

Ou se inspire com esses outros artigos incríveis sobre liderança:

Liderança humanizada no home office: uma nova perspectiva para o pós-pandemia, por Susanne Andrade, Sócia-diretora da A&B Consultoria e Desenvolvimento Humano.
Liderança em 2021? Há algo de novo?, por Miguel Nisembaum, Diretor da Mapa de Talentos.

Líder Academy
Ler conteúdo completo
Indicados para você