[ editar artigo]

Liderança Ágil - Valorizando pessoas para atingir resultados incríveis

Liderança Ágil - Valorizando pessoas para atingir resultados incríveis

Como trabalha o líder ágil? Anna Elisa Mussi, Diretora do Instituto Mundo do Trabalho, destaca as principais características da Liderança Ágil. 

 

Gosto de dizer que frases como “no meu tempo era assim, no meu tempo era melhor” não fazem sentido. O nosso tempo é o agora, estamos vivos neste momento e isto exige que estejamos prontos para lidar com as mudanças que estão acontecendo. Mudanças impulsionadas por transformações tecnológicas, políticas, econômicas, ambientais e sociais, que ocorrem no mundo todo, sobretudo em tempos de pandemia da Covid-19.

As organizações altamente impactadas por esse movimento, necessitarão de novos referenciais para que seus líderes possam conduzir o negócio, em um contexto de crescentes expectativas por parte de clientes, colaboradores e sociedade.

Para fazer frente a esta necessidade, surge a Liderança Ágil, que não se trata de mais um estilo de liderança, mas sim de uma nova mentalidade, que se baseia nos princípios do Ágil (Manifesto Ágil, 2001), nos valores do ágil (Modern Agile) e nas metodologias ágeis.

Ágil não é sinônimo de rapidez, mas sim de adaptação e aprendizado contínuo. Nasceu na TI, mas hoje foi incorporado por diversas áreas da organização. Algumas diretrizes que permeiam o mindset do líder ágil:

1)Valorizar as pessoas: um dos princípios da liderança ágil é valorizar os indivíduos, tratando-os com autonomia para que participem das decisões e das resoluções dos problemas. Valoriza as interações entre as pessoas mais do que os processos. Faz gestão do sistema (cultura, valores) e não das pessoas. Parte da premissa que as pessoas são indivíduos, com diferentes necessidades, níveis de prontidão e talentos. Não são recursos humanos, são pessoas e um líder ágil trabalha para identificar e desenvolver o potencial das equipes e empresas.

2) Gerar valor para o cliente: o líder ágil trabalha com este olhar de gerar produtos e serviços que realmente agreguem valor para o cliente. Documentos e burocracias que não servem ao cliente são constantemente revisados. O cliente é a razão de existir de uma empresa e para isso trabalha-se para entender e conhecer suas necessidades.

3) Responder às mudanças: Um líder ágil sabe da importância do planejamento, mas não se apega ao plano. Reconhece que mudanças ocorrem e que planos precisam ser adaptados constantemente. Adota uma postura de acolher os obstáculos que surgem e lidar com eles a cada vez, sem se frustrar com o que sai fora da rota. Menos resistência e mais resposta rápida às necessidades de mudanças.

Acrescenta-se como base para o desenvolvimento da liderança ágil, agir em consonância com os Valores do Modern Ágil, criado por Joshua Kerievsk.

Torne as pessoas incríveis: trata de valorizar as pessoas e trabalhar com foco em gerar maior autonomia. Ao empoderar as pessoas, amplia-se a autoconfiança, o autoconhecimento e as pessoas se sentem úteis e importantes. Um líder ágil acredita no potencial das pessoas e não dá ordens, mas sim orienta, acompanha e cria soluções em conjunto.   

Entregar valor contínuo: significa trabalhar com melhoria contínua, em ciclos de feedback e comunicação constante tanto com a equipe quanto com o cliente.

Crie um ambiente de Segurança: não é possível gerar um ambiente de confiança sem ser confiável. As pessoas precisam sentir que estão em um ambiente seguro, em que podem se expressar, em que o medo da demissão como ameaça não seja um fantasma constante e em que os erros sejam menos apontados e julgados, e mais utilizados como fontes de aprendizado. Não significa dizer que líderes ágeis são tolerantes com erros constantes e muito menos com incompetência. Mas significa que entendem que erros inéditos ocorrem em equipes que estão buscando inovar.  Mostra consequências dos erros, dá feedback, busca soluções em parceria.

Experimente e Aprenda Rápido: um ambiente propicio à experimentação e à aprendizagem rápida motiva a inovação, tão necessária atualmente para a relevância das organizações. Quanto mais experimentamos e nos colocamos em ação, mais aprendemos sobre nosso potencial e da equipe. A experiência é o melhor professor e pesquisas demonstram que ter agilidade de aprendizagem, ou seja, esta predisposição para experimentar e aprender com a experiência é uma das principais abordagens para desenvolver liderança. Experimentar em quantidade (quanto mais melhor), qualidade (mais novas e diferentes) e diversidade (pessoas, situações, novas competências).  Que lições cada uma das experiências nos proporcionou? Foram positivas? Negativas?  O que aprendemos? O que podemos melhorar? Como podemos utilizar esta experiência em outros contextos.

 

Um líder ágil trabalha para criar um ambiente onde as equipes colaboram e não competem.

Em que aprendem umas com as outras e não trabalham em silos. Faz emergir soluções mais criativas por meio da consciência individual e envolvimento das pessoas.  Ao mesmo tempo que organizações ágeis precisam de líderes ágeis, líderes precisam ser ágeis para ser relevantes em um mundo de crescente complexidade.

Neste encontro estão as bases que podem sedimentar a Liderança Ágil, mas não sem antes encararmos de frente que este mindset exige que lideranças concordem com menos controle, que as resistências organizacionais à mudanças sejam quebradas e que a cultura organizacional esteja em acordo com os valores ágeis. Como todo processo de mudança exige, precisamos abrir mão da zona de conforto, da repetição de comportamentos que não atendem mais, e entrar na zona de aprendizagem, que por vezes é incomoda, difícil, mas necessária para conquistarmos novas formas de ser nas organizações.

Acredito em pequenos passos consistentes em direção às mudanças planejadas e trabalhar as lideranças pode ser um excelente caminho. Como diz o autor do livro Hábitos Atômicos - James Clear, “A melhor forma de mudar quem você é, é mudar o que você faz”.

 

Você tem uma experiência sobre esse assunto e quer compartilhar com outros líderes? Clique aqui e escreva seu artigo!

Ou se inspire com esses outros artigos incríveis sobre liderança:

Você sofre de "paralisia por análise"?, por Kiko Kislansky, co-fundador da Euzaria Moda Consciente.
Será que não está na hora do ESG virar ESGD e considerar Diversidade também?, por Dani Botaro, Head de Diversidade e Inclusão da Oracle América Latina.

_______________________________________________________________________

Anna Elisa Mussi tem mais de 20 anos de experiência em  gestão de pessoas, liderando projetos de Consultoria, Desenvolvimento de Lideranças, Coaching Executivo e de equipes. Tem como propósito ser um  elo para transformação de pessoas e empresas e trabalha para que seus clientes estejam preparados para atuar em um mundo de mudanças que exige cada vez mais adaptabilidade e um mindset ágil.  É Psicóloga, Mestre em Governança e Sustentabilidade (ISAE- FGV),  Pós graduada em Gestão de Pessoas pela PUCPR, MBA – Advanced Management Program pela Esade Business School Barcelona. É Coach pela Pro Fit e Corporate Coach U (EUA), além de Presidente da International Coaching Federation - Chapter Paraná. Tem certificação em Mentoring pelo Global Mentoring Group e Agile Certified Coach – em formação. (CAC). Coordena o MBA em Gestão Estratégica do Desenvolvimento Humano e Organizacional na Universidade Positivo e é professora em Programas de Educação Executiva e de pós graduação em diversas instituições de ensino no Paraná. Atualmente é  Diretora do Instituto Mundo do Trabalho e da Mastery Coaching e Desenvolvimento.

 

 

Líder Academy
Anna Elisa Mussi
Anna Elisa Mussi Seguir

Psicologa, Executive Coach, Facilitadora em Programas de Desenvolvimento de Lideranças e Equipes, Agile Coach. Anna Mussi possui mais de 20 anos de experiência em gestão de pessoas, liderando projetos de Consultoria, Desenvolvimento de Lideranças,

Ler conteúdo completo
Indicados para você