[ editar artigo]

Dá para ser assertivo sem magoar os outros?

Dá para ser assertivo sem magoar os outros?

 

Dá sim, basta um pouco de treino para conseguir ter um papo franco, aberto, direto sem ferir ou magoar as outras pessoas.

O momento de se posicionar de forma assertiva, seja na vida pessoal ou no trabalho, costuma ser desafiador para a maioria das pessoas. E esse desafio se coloca em nossas vidas porque existe uma linha bem tênue entre a objetividade e a agressividade. Vamos a dois conceitos importantes:

a.    Cada um de nós tem um perfil de comunicação predominante. Podemos ser enquadrados nos perfis passivo, assertivo ou agressivo. O grande desafio da comunicação é andar na linha do meio, na linha da assertividade.

b.    Também é importante termos em mente que nós somos responsáveis por aquilo que falamos, mas não por aquilo que os outros entendem. Essa compreensão do outro depende muito da bagagem que este acumulou ao longo da vida, suas crenças, seus valores, suas experiências.

Há quem pense que, diante do risco de ser mal interpretado ou de ser taxado de crítico e ser impopular, o melhor é não dizer nada... Isso leva a pessoa a uma posição PASSIVA, onde esta opta por não se posicionar diante dos fatos e, ao mesmo tempo, é obrigada a acatar aquilo que foi dito, mesmo que não concorde. Isso pode parecer uma boa decisão no momento, mas contribuirá para que as pessoas deixem de em você, justamente por não expressar o que pensa.

Na liderança, não dizer o que precisa ser dito prejudica todo o time e, claro, a sua própria liderança. Você pode achar que está ajudando, sendo "bacana", mas dificilmente conquistará o respeito de seu time agindo desta forma. Quando você está na posição de líder, precisa aceitar que nem sempre será visto como um “gestor legal”. Esqueça isso e busque ser admirado e respeitado pela sua competência, por dizer o que tem que ser dito, da forma correta. Isso as vezes é duro, mas precisa ser feito.

O outro extremo também não deve ser uma alternativa. Interromper, não ouvir os outros, querer dar a última palavra, usar de autoridade ou não levar em consideração também as necessidades e particularidades dos outros faz com que você seja taxado como AGRESSIVO e, esse comportamento também não contribuirá para a sua conexão com o time.

É importante ter em mente que o compromisso do outro precisa ser CONQUISTADO!

Ser ASSERTIVO não é ser “sincerão”, dizer tudo o que pensa, sem filtros. Ser assertivo é expressar o que você pensa de forma clara, direta e cuidadosa. Você pode, sim, ir direto ao ponto, sem ser áspero ou desrespeitoso. Lembro-me de ter ouvido uma frase (não me recordo quem falou), mas guardo ela para a minha vida:

"Seja duro com os fatos e gentil com as pessoas"
(autor desconhecido)

A comunicação assertiva é uma via de mão dupla: envolve expor seus pontos sim, mas também envolve escuta ativa e o desejo genuíno de compreender o outro lado. Não existe uma verdade absoluta, existe troca, transparência, honestidade e cuidado.

Então você deve estar pensando: “Legal esse discurso, Beth! Mas como eu posso fazer isso, na prática”?

Costumo compartilhar nas sessões de mentoria e treinamentos que faço, essa técnica que aprendi ao longo da minha vida, que chamo de 4 passos da assertividade:

1) Nomeie o fato que você quer comunicar sem julgar ou generalizar. Por exemplo:

O ser humano costuma ser muito hábil em fazer julgamento de valor. Uma frase assim poderia ser dita por qualquer gestor: “Você precisa inovar, você sempre apresenta as mesmas soluções para problemas diferentes”. Sabe quais são os problemas dessa frase? O “sempre” e a ausência de fatos. Vejam só a diferença: “Ao analisar a tática 1 e 2 do seu plano, notei que elas estão muito semelhantes às do ano passado, mas o mercado mudou muito, como vimos na pesquisa que foi apresentada na semana passada.”

2) Explique como esse fato afetou você. Para isso, você pode dizer:

“Eu me sinto insegura em seguir com este plano porque não acredito que ele irá gerar os resultados que precisamos, afinal, temos uma cota de vendas bem maior e um cenário competitivo diferente neste ano. Gostaria do seu olhar crítico para desenhar novas alternativas para o negócio, já que você é o expert no assunto.”

3) Deixe claro como você espera que o trabalho seja feito. E isso pode ser falado, por exemplo, desta forma:

“Podemos combinar uma nova data para que você possa entregar esse material revisado, trazendo ao menos 2 novas ideias para o plano?”

4) Valide se o combinado foi compreendido pelo outro lado.

Ficou claro ou você tem alguma dúvida? Podemos combinar que você entregará o material amanhã, acrescentando as duas novas ideias?  

Quer saber mais sobre como melhorar as relações com a sua equipe e fortalecer a sua liderança através de uma abordagem cuidadosa e humanizada? Entre em contato comigo através de uma mensagem privada. Podemos falar sobre este e tantos outros dilemas que são frequentes no seu dia a dia dos líderes.

 

Líder Academy
Beth Gossi
Beth Gossi Seguir

Sou mentora de carreira e a minha missão é destravar as potencialidades humanas para que você alcance seus objetivos corporativos ou pessoais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você