[ editar artigo]

Profissões do Futuro: Sinergia humano-tecnologia

Profissões do Futuro: Sinergia humano-tecnologia

Tania Lopes, Diretora de Educação do ISAE, destaca o impacto da tecnologia e a importância das habilidades essencialmente humanas no futuro dos negócios. 

 

O impacto da tecnologia é irreversível e a digitalização dos negócios já tem provocado mudanças sem precedentes nas organizações e na sociedade. As profissões atuais estão sendo transformadas e tem na sinergia humano-tecnologia, o principal vetor de mudança. Temos trabalhado de forma cada vez mais integrada com máquinas. As principais previsões para as profissões do futuro estão relacionadas ao desenvolvimento de tecnologias de Inteligência Artificial combinadas às habilidades essencialmente humanas, como criatividade e relacionamento.

Segundo pesquisa da FIA, as profissões mais promissoras para os próximos dez anos pertencem as áreas de engenharia, ecologia, sustentabilidade, saúde e qualidade de vida, recursos humanos, tecnologia da informação e marketing.

Um estudo encomendado pela Dell Technologies ao IFTF (Institute For The Future), que contou com uma amostras 3800 líderes de negócios em 17 países, incluindo o Brasil, analisou os impactos das tecnologias até 2030, a pesquisa aponta que 85% dos trabalhos que existirão em 2030 ainda não foram inventados. Esta mesma pesquisa sinaliza que 85% de todos os líderes esperam que seus funcionários sejam especialistas digitais.

 

Muitos trabalhos serão automatizados e substituídos por robôs, mas habilidades socioemocionais, como autoconhecimento, intuição, empatia, criatividade, acolhimento, disposição para aprender, não podem ser traduzidas pela inteligência artificial. Essas competências serão diferenciais significativos para os profissionais do futuro.

 

Um ponto extremamente relevante, portanto está na intersecção da inteligência artificial e das competências humanas, a capacidade de utilizar o potencial tecnológico com criatividade produz resultados incríveis.

Neste contexto o profissional deve estar atento a sua capacidade de 'saber aprender' mais do que 'saber fazer' determinada tarefa. Deve exercitar habilidades como raciocínio lógico e capacidade de autonomia, desafiando e fortalecendo o seu impulso criativo, a sua inteligência emocional e o seu conhecimento tecnológico, aplicado a desafios reais, para nutrir sua agilidade de aprendizagem.

Quanto as organizações que desejam assegurar a sustentabilidade e longevidade, cada vez mais deverão adaptar-se rapidamente, ampliar automação e o uso da inteligência artificial, abraçar o dinamismo de uma força de trabalho cada vez mais diversificada, repensar a maneira como seleciona pessoas, o seu propósito e dos seus colaboradores, proporcionar experiências que inspirem e desafiem ao longo da jornada profissional e sobretudo fomentar a autonomia, a colaboração e espaços de aprendizagem e ação.

E você, como tem se preparado para lidar com os desafios atuais e futuros?

 

Você tem uma experiência sobre esse assunto e quer compartilhar com outros líderes? Clique aqui e escreva seu artigo!

Ou se inspire com esses outros artigos incríveis sobre Liderança:

“Você precisa ser alguém na vida!”, por Kiko Kislansky, co-fundador da Euzaria Moda Consciente e da Cazulo Consultoria de Negócios com Propósito.

3 dicas sobre improviso para líderes, por João Paulo Pacifico, CEO do Grupo Gaia.

 

 

Líder Academy
Tania Lopes
Tania Lopes Seguir

Mestre em Governança e Sustentabilidade pelo ISAE. Especialista em Gestão de Pessoas pela FGV. Psicóloga de Formação. Diretora de Educação do ISAE. Diretora Executiva do IMT. Profissional com mais de 20 anos de experiência em Gestão de Pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você