A comunidade está de cara nova!
Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

P.E.R.M.A. – Psicologia Positiva e um modelo de bem-estar nas empresas:

P.E.R.M.A. – Psicologia Positiva e um modelo de bem-estar nas empresas:
Miguel Nisembaum
abr. 5 - 4 min de leitura
2 Curtidas
0 Comentários
0

O modelo P.E.R.M.A. criado por Martin Seligman, um dos fundadores da psicologia positiva, pode ser uma boa escala de medida da qualidade do ambiente e do bem-estar dos colaboradores.

Para quem não conhece P.E.R.M.A. é um acrônimo de 5 elementos que quando trabalhados levam ao bem-estar.

P= Emoções Positivas.

 A teoria broaden and build de Barbara Fredrickson confirma que emoções positivas ajudam a construir repertório de pensamentos e ações para responder as situações que se apresentam. Também contribuem para construir resiliência em momentos adversos. Do ponto de vista organizacional, as emoções positivas têm um efeito contágio na melhora do ambiente.

Frederickson sugere que as emoções positivas aprimoram o repertório de ação do pensamento de um indivíduo e fornecem suporte para melhorar os recursos pessoais. Aplicado à força de trabalho, Frederickson postula que emoções positivas experimentadas por funcionários individualmente criarão um efeito cascata que beneficia o funcionamento organizacional .

Para gerar bem-estar, precisamos de emoções positivas em nossas vidas. Qualquer emoção positiva como paz, gratidão, satisfação, prazer, inspiração, esperança, curiosidade ou amor se enquadra nessa categoria

E= Engajamento.

Não é novidade que colaboradores mais engajados performam melhor. Um dos modelos de medição de engajamento proposto pela Psicologia Positiva mede três fatores – Energia, dedicação e o quanto as pessoas se integram a aquela atividade, grupo ou organização. O fator confiança nas pessoas e no ambiente também se revelou um preditor de engajamento.

R= Relacionamentos Positivos.

Compostos por aspectos como inclusão, network, intimidade e participação no desenvolvimento de outros. Representam um fator de satisfação do trabalho que contribui para a colaboração entre equipes e áreas, são um fator de retenção de colaboradores.

M= Significado (Meaning).

É a conexão de nosso propósito com o dia a dia do trabalho. As pessoas podem encontrar significado em decorrência do ambiente e equipe de trabalho, ou em função da atividade que exercem (vocação).

Existe uma correlação alta (0.63) entre as pessoas que encontram significado no trabalho e alta performance.

Importante: não é o tipo de trabalho que pode ou não trazer significado e sim a maneira como nos relacionamos com ele.  Posso obter significado do e no trabalho.

Mas o propósito pode ser encontrado em qualquer trabalho?

Parece que sim. Uma análise abrangente de dados de mais de 11.000 funcionários em diferentes setores: o único mais forte preditor de significância foi a crença de que o trabalho teve um impacto positivo sobre os outros.

A= Realizações (Accomplishment).

São as metas e objetivos que nos propomos. Um alto índice de realização geralmente vem acompanhado com uma sensação de autonomia e auto eficácia.

É possível medir estes elementos através da escala PERMA de medição e propor uma revisão de processos que ajudem a estimular sua aplicação, incorporados não em um programa de desenvolvimento, mas no dia-a-dia da organização.

Embora haja uma suposição de que o estresse e a pressão levem os funcionários a realizar mais, melhor e mais rapidamente, as organizações que seguem essas práticas não reconhecem os custos ocultos incorridos.

Em suma, um local de trabalho positivo é mais bem-sucedido ao longo do tempo porque aumenta as emoções positivas e o bem-estar. Isso, por sua vez, melhora as relações entre as pessoas e amplia suas habilidades e criatividade. 

Um ambiente positivo melhora a capacidade dos colaboradores de se recuperar de desafios e dificuldades, ao mesmo tempo em que fortalece sua saúde.


Denunciar publicação
2 Curtidas
0 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você