[ editar artigo]

Que tal mudar a lógica das empresas?

Que tal mudar a lógica das empresas?

Funciona assim... o acionista investe na empresa e quer ganhar máximo possível… o banco empresta dinheiro e quer ganhar máximo possível...

Os principais executivos ("defendendo a empresa") tentam tirar máximo dos colaboradoresfornecedores meio ambiente em busca de pagar os bancos e ter mais lucro... 

Como:

  • Pagando mínimo para colaboradores fornecedores… E o meio ambiente?… deixa pra lá…

Em contrapartida, colaboradores fornecedores tentam tirar máximo da  empresa… o meio ambiente não pode fazer nada.

... E quem ganha com esse tipo de relação? Ou melhor, esse eterno cabo de guerra???

Historicamente o lado mais forte consegue mais dinheiro e perpetua o sistema, mas será que realmente ganha?

meio ambiente vai sendo degradado de maneira irreversível:

No último dia 22 de agosto de 2020 consumimos tudo o que o planeta consegue renovar no ano.  

Segundo o Global Footprint Network, precisaríamos de 1,7 Terra para suportar o nosso gasto atual.

As desigualdades sociais aumentam absurdamente:

As 5 pessoas mais ricas do Brasil têm um patrimônio equivalente a metade da população brasileira (+ 100 milhões), segundo a Oxfam.

E olhe só... 82% de toda a riqueza mundial gerada entre 09/16 e 09/17 ficou nas mãos do 1% mais rico da população, enquanto a metade mais pobre (3,7 bilhões de pessoas), não foi beneficiada com nenhum aumento (link).

Aí você diz, mas foi merecido... até pode ter sido... mas esse é o mundo que queremos viver?

E se você não tivesse nascido na família que nasceu? Teria alcançado o que alcançou?

Maaaas, podemos mudar isso. Ou melhor, precisamos mudar urgentemente!

E se essas relações forem construídas de forma saudável onde todos tenham suas necessidades atendidas???

Como num jogo de frescobol... no frescobol um jogador não pode querer a bolinha só para si, pois não teríamos jogo.

Também não pode bater forte todas as bolas sem pensar no colega, pois vão derrubar a bola. O coletivo precisa estar acima das vontades individuais para que o jogo seja divertido e todos aproveitem.

Às vezes  precisaremos abrir mão de algo individual pelo bem coletivo maior.

 E se não for possível estarem todos satisfeitos

... se uma das partes não está gostando do jogo de frescobol, percebendo que o individual está atrapalhando o coletivo, deve mudar de parceiro... Não tem nenhum problema, sem culpa, mudar de time… de empresa, de ramo, de negócio.

 Quem ganha com isso???

Os colaboradoresfornecedoresclientesacionistas e o meio ambiente... enfim, TODOS!

Por onde começar?

  • Vamos focar no bem coletivo para que o jogo seja divertido e todos saiam ganhando.

  • E vamos pressionar acionistas bancos para que entrem nesse jogo coletivo, que todos, até o meio ambiente, fazem parte.

Reflita, comente, dê exemplos de empresas e pessoas que pensam assim... e compartilhe essa ideia!

Forte abraço,

João e Du Pacifico (irmãos Gaianos que não são comunistas, mas querem um mundo melhor para os seus filhos). 

PS1. Isso vai muito além de um artigo... no Grupo Gaia aplicamos essa filosofia de mundo!

Ps2. Quer saber mais? Pesquise sobre as BCorps (Sistema B), Capitalismo Consciente… além da Gaia, tem muita empresa que já pensa assim... mas ainda somos minoria!

Ps3. Aos haters de plantão: como dissemos acima, não somos comunistas, mas sim somos sonhadores, idealistas e realizadores. ;)

Ps4. Quer saber mais várias coisas legais??? Leia o livro Onda Azul: 5 passos para inspirar pessoas e fazer o mundo melhor.

Ps5. Gratidão por ter lido. Caso tenha chegado até aqui, comente: "li até o final e gostei/não gostei pq...".

Líder Academy
João Paulo Pacifico
João Paulo Pacifico Seguir

curioso, otimista e ativista ;-)

Ler conteúdo completo
Indicados para você