[ editar artigo]

Síndrome do Impostor - entenda o que é e como vencê-la

Síndrome do Impostor - entenda o que é e como vencê-la

Quantas vezes você já duvidou das suas habilidades como líder? Alexandre Pellaes, Especialista em Novos Modelos de Gestão e Futuro do Trabalho, explica a Síndrome do Impostor. 

 

Você já se sentiu uma fraude? 

Bem... #quemnunca? 

Todos nós passamos por momentos de questionamentos internos...

❓ Será que tenho conhecimento suficiente para falar sobre um tema? 

❓ Será que vou cometer um deslize e alguém que "sabe mais" vai me desmascarar? 

❓ Será que já aprendi tuuuudo que existe sobre esse assunto?

❓ Será que eu consigo cumprir a promessa de entrega de valor que eu fiz?

❓ Será? Será?

Em geral, questionamentos podem ser reflexo de autoconsciência e humildade - duas características muito positivas.

MAAAAASS quando as dúvidas internas se tornam frequentes e paralisam sua ação, significa que você está sofrendo da "Síndrome do Impostor".

É necessário ter muita atenção, pois os pensamentos negativos sobre nossas habilidades e competências podem ser mais comuns do que imaginamos.

As características e comportamentos de quem talvez sofra com a Síndrome do Impostor incluem a constante sensação de que você não tem qualificação para o trabalho que exerce; procrastina atividade importantes por medo e depois se sente culpado(a) por não fazer; acredita que será desmascarado(a) a qualquer momento, expondo o que não sabe; e será classificado(a) como uma fraude ou impostor(a).

 

Diferente do efeito Dunning-Kruger, que leva a pessoa a acreditar que sabe mais do que realmente sabe e está mais bem preparado(a) do que realmente está, a Síndrome do Impostor pode sabotar e estagnar completamente a sua vida profissional. 

 

Entenda como ela funciona:

Quando pensamos em uma área de conhecimento profundo NOSSO e nos comparamos com os outros, podemos achar que as pessoas sabem mais do que nós – essa é uma PERCEPÇÃO.

Olhe com atenção para essa imagem:

 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

 

Exemplo: a pessoa fala UMA linha de algo que você não conhece – e você fantasia que ela sabe tudo o que você sabe MAIS o que ela sabe – ou seja, você é um impostor.

Você imagina que “se ela sabe ISSO a mais do que eu, ela sabe MUITO mais do que eu.”

Agora multiplique isso pelo número de pessoas que sabem ao menos uma coisinha DIFERENTE do que você sabe e... tchãrammmm – Síndrome do Impostor na área! 

 

O conhecimento específico que você possui encontra pontos em comum com o conhecimento de outras pessoas, mas ele não está contido dentro do que os outros sabem! Não se menospreze. Não se diminua. 

 

E mais importante, tenha certeza de que NINGUÉM SABE TUDO! 

Se você se identificou com esse sentimento, se tem muita dificuldade para absorver seus sucessos e conquistas como merecidos, pare! PARE AGORA, e reveja A SUA trajetória.

Você acredita MESMO que estaria onde está se fosse uma fraude?

Você está contando mentiras propositais e buscando enganar as pessoas? 

Claro que não!!!

Se esse sentimento te impede de agir e crescer, procure ajuda profissional para conversar sobre isso e também converse com outros colegas de dentro e fora do trabalho. 

Você poderá encontrar outras pessoas passando pelo mesmo desconforto e também receberá retornos sobre como te enxergam como profissional (feedback é realmente um grande aliado nessa missão!!).

Escute DE VERDADE e aceite elogios. Crie uma lista das suas realizações - tudo o que você já conquistou e => Aproprie-se das suas conquistas!

E aí, você já conhecia a Síndrome do Impostor? Gostou da maneira que foi exposta e da clareza para ampliar o olhar?

Um abração e muito bom Trabalho! 

***

Texto publicado originalmente neste link

 

Você tem uma experiência sobre esse assunto e quer compartilhar com outros líderes? Clique aqui e escreva seu artigo!

Ou se inspire com esses outros artigos incríveis sobre liderança:

5 dicas práticas para demandar tarefas sem parecer um ditador, por Rodrigo Shyton, Líder da Gestão no Grupo Gaia.

O que é sucesso para você?, por Marco Gorini, sócio-fundador da Din4mo.

 

Ler conteúdo completo
Indicados para você