[ editar artigo]

4 perfis de liderança que se destacaram na pandemia

4 perfis de liderança que se destacaram na pandemia

Pesquisa mostra como as lideranças estão lidando com as mudanças impostas pela pandemia.  

 

Crise, pandemia, isolamento social... Quanta coisa vem acontecendo de 2020 pra cá.

 No mundo corporativo não foi diferente, home office, novas estratégias e profundas transformações no dia a dia das equipes. 

Quanto isso afetou o perfil da liderança?

A pesquisa “Realidade e percepções da alta liderança frente à crise”, realizada pelo PageGroup junto com o Centro de Liderança da Fundação Dom Cabral, identificou algumas mudanças no comportamento das lideranças e traçou 4 perfis de líderes. 

Entre eles, está o perfil do líder orientado a pessoas, com ênfase em gestão de pessoas e soft skills, e também o líder confiante, que incentiva a formação de equipes multidisciplinares voltadas para inovação.

Segundo a pesquisa, 75,8% dos líderes acreditam que a tomada de decisão está sendo mais rápida neste cenário de crise.

 

Vamos lá conhecer melhor cada um?

 

1º: LÍDER CÉTICO

• Espera recuperação da atividade econômica a partir de 2023 

• Preocupa-se com a incerteza pela procura de seus produtos ou serviços 

• Tem tendência a centralizar a tomada de decisão com intuito de ganhar agilidade 

• Palavras-chave: crise, aprendizado, adaptação, decisão, criatividade e importância

Segundo a pesquisa, os líderes com esse perfil atuam em setores que sofreram muito com a crise. Suas preocupações estão em como garantir a sobrevivência dos fornecedores, como ficará a economia e a redução nas vendas de seus produtos ou serviços. 

 

2º: LÍDER ORIENTADO A PESSOAS

• Segurança e produtividade são suas maiores preocupações 

• Foco em gestão de pessoas e soft skills 

• Implantou medidas e benefícios visando o bem-estar dos colaboradores 

• Palavras-chave: manter, crise, empresa, adaptabilidade, aprendizado, decisão, empatia, resiliência

A pesquisa aponta que líderes com esse perfil afirmam terem se tornado mais sensíveis às questões pessoais dos times e que se aproximaram dos colaboradores no nível pessoal durante a pandemia. 

Esse perfil também mostra preocupação com o bem-estar dos colaboradores. Colocando à disposição da equipe estações de trabalho da empresa e reembolso da conta de internet. Também promovem conversas individuais com membros da equipe, happy hours e outros momentos virtuais de integração.

 

3º: LÍDER AUTOCENTRADO

• Tomada de decisão antes do cenário de crise já era mais centralizada 

• Acredita que é normal a flexibilidade diminuir um pouco em tempos incertos

• Trabalha em uma empresa pequena ou média de até 200 colaboradores

• Palavras-chave: flexibilidade, crise, assertividade, foco, eficiência, negócios

De acordo com a pesquisa, com a crise e a volatilidade do mercado, empresas de pequeno e médio porte que já tinham uma cultura mais centralizada tendem a se enrijecer ainda mais

Os líderes autocentrados focam na reestruturação de custos e relações com fornecedores. Diante de um cenário com diversos desafios, preferem centralizar em si a tomada de decisão. 

 

4º: LÍDER CONFIANTE

• Atua em parceria com fornecedores para cuidar da cadeia como um todo 

• Enxerga oportunidades, abrindo espaço para inovação

 • Incentiva uma gestão menos centralizada 

• Palavras-chave: crise, mudanças, possível, resiliência, agilidade, decisões, oportunidades

Segundo a pesquisa, os líderes confiantes esperam maior faturamento e contratações em 2021. Isso acontece porque conseguiram entregar bons resultados mesmo com a pandemia. Com uma gestão mais descentralizada, esse perfil de líder estimula agilidade nos times, incentiva a formação de equipes multidisciplinares voltadas para inovação, valorizando as competências de cada profissional e evitando a existência de capacidade ociosa na organização.

 

Se identificou com algum perfil?

 

Quem são esses Líderes que foram pesquisados?

Mais de 230 executivos participaram da pesquisa, nas posições de CEO, Vice-Presidência, Diretoria, Superintendência e outros cargos C-Level.

Segundo o estudo, o estilo de liderança pode ser situacional, influenciado pela cultura da empresa e não exclusivamente da sua natureza. Outra coisa importante é que um líder pode navegar por mais de um perfil.

Com um papel fundamental nas organizações, as lideranças se viram diante de enormes desafios, em um cenário totalmente incerto. A pesquisa mostra um pouco de como tem sido a tomada de decisão nesse momento e pode ajudar como uma autoavaliação dos próprios líderes para pensar caminhos, rever estratégias e ações.  

Informações completas da pesquisa “Realidade e percepções da alta liderança frente à crise” estão neste link

 

Acompanhe outras experiências

Líderes também compartilharam ideias e experiências de como engajar suas equipes no home office aqui na comunidade:

Como João Paulo Pacifico, CEO do Grupo Gaia, que destacou em seu artigo como manter o engajamento, motivação e alinhamento da equipe com a empresa inteira em home office

E Maria Brasil, fundadora da Essence Branding, que mostra 3 ações práticas para manter o engajamento da equipe sem perder a humanização. 

 

Você tem uma experiência sobre esse assunto e quer compartilhar com outros líderes? Clique aqui e escreva seu artigo!

Ou se inspire com esses outros artigos incríveis sobre liderança:

Liderança otimista: Como criticar, elogiar e algumas cositas más..., por João Paulo Pacifico, CEO do Grupo Gaia.
Por que você quer ser um líder?, por Sofia Esteves, Fundadora do Grupo Cia de Talentos.

Líder Academy
Jéssica Amorim
Jéssica Amorim Seguir

Jornalista| Produção de conteúdo| Gestão de mídias sociais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você